domingo, 30 de junho de 2013

"Lançando achas na fogueira"





- Israel invade e bombardeia um país soberano pela 2ª vez (a 5 de Maio último). Cometendo actos de guerra, em clara violação da Legislação Internacional.

- Segue-se 1 interessante artigo de William Engdahl de 7 de Maio último:

_____


Israel’s 'act of war' against Syria – Madness or cold calculation?




William Engdahl is an award-winning geopolitical analyst and strategic risk consultant whose internationally best-selling books have been translated into thirteen foreign languages.

Published time: May 07, 2013 10:48



A handout picture released by the Syrian Arab News Agency (SANA) on May 5, 2013, allegedly shows, "the damage caused by an Israeli strike" according to SANA. (AFP/SANA)



Israel’s bombing of Syria is a sign Tel Aviv and Washington are preparing international opinion, and gearing up for a full-scale Libya-style NATO-IDF air campaign to obliterate Syria.
On May 3-4 the Israeli Defense Force (IDF) launched two successive aerial bombing strikes deep inside Syrian territory, reportedly against the Jamraya military research center near Damascus Airport. While Israeli spokesmen have been coy about admitting responsibility, the Obama Administration confirmed and endorsed the bombings in Syrian sovereign territory. By precepts of international law, Israel has committed acts of war against Syria, in violation of the UN Charter.
The alleged justification for the Netanyahu regime, which seems to set another set of laws for itself as the norms of international law, was the claim that the strikes targeted a warehouse storing Iranian Fateh-110 “game changing” missiles in transit to the Lebanese Hezbollah. In January the IDF made a similar air strike to destroy a convoy of advanced air defense missiles en route to Hezbollah that would hinder Israel’s ability to enter Lebanese airspace unharrassed.
To grasp what is going on inside Tel Aviv a recent timeline helps. On April 27, before Israel embarked on action against Syria, Russian Deputy Foreign Minister Mikhail Bogdanov forged a new Russian alliance with Hezbollah in Beirut. According to Debka.com, an online source with reported close ties to the Israeli intelligence community, “This was Putin’s answer to Obama’s direct appeal for a partnership in the effort to terminate the Syrian conflict. Obama’s rejoinder was the green light he gave Israel to go for Iranian and Hezbollah targets in Syria.”
On April 30, Hezbollah leader Hassan Nasrallah made a public speech in which he for the first time indicated that his organization was ready to come to the active aid of Assad’s Syrian regime in the fight against Al Qaeda and assorted foreign and domestic “opposition” to Assad’s rule. Nasrallah also said charges that Syria used chemical sarin weapons were fabricated to justify foreign intervention. At the same time Iran called in the UN to investigate alleged use of chemical weapons in Syria.



Israeli soldiers are seen with their Merkava tank unit deployed in the Israeli annexed Golan Heights near the border with Syria, on May 6, 2013. (AFP Photo)



The next day, on May 1, President Barack Obama said the US is now ready to arm Syrian rebels and to increase efforts to topple Bashar al Assad. On May 3-4 the IDF bombing strikes took place. Then on May 6 the United Nations Independent Commission of Inquiry on Syria issued a statement that they had no evidence that the Syrian Government has used chemical weapons, sarin or other, against the rebel insurgents. Instead, the UN found evidence that the rebels had used sarin and tried to blame it on the regime. No small embarrassment for Washington and Tel Aviv which claimed otherwise.
The Israeli bombings come coincidentally at a time when direct reports from within Syria indicate major recent successes of the Syrian Army in rolling back rebel held areas along the border to Lebanon. Until Israel or Washington are able to produce overwhelming evidence to the contrary, the weight of suspicion for the Israeli acts of war has to be not interdiction of potential “game changer” missiles to Hezbollah, but rather an attempt by Israel, with Washington backing, to prepare the climate of world opinion for a full-scale Libya-style NATO-IDF air campaign to obliterate Syria, as more than two years of surrogate arming and training of mercenaries and even Al Qaeda terrorists to wage a regime destruction in Syria appear to have failed. The Netanyahu aggressions are an ultra-high-risk gamble that could colossally backfire on Tel Aviv as well as Washington. The Shi’ite alliance of Tehran-Damascus-Hezbollah in Lebanon is backed firmly by Putin’s Russia with China supporting. The rebels are backed by Qatar, Saudi Arabia, Washington and now Israel. Already Syria, Iran and Hezbollah have promised retaliation. The situation has the potentials for conflict out of control.
Is anyone for the rule of international law, notions of just and unjust wars, classical diplomacy and basic human rights for a change?
The statements, views and opinions expressed in this column are solely those of the author and do not necessarily represent those of RT.

__________



- Imagens do bombardeamento de Israel a território Sírio (a 05 de Maio último), em violação do direito internacional  (coisa que, aliás, faz diariamente ...):
















- A partir de:  RT





quinta-feira, 27 de junho de 2013

Perante a Coragem em Optar por Denunciar Crimes de Guerra (em vez de os Cometer) ...





- Exorto-vos a atribuir Prémio Nobel da Paz a  Bradley Manning!

- Petição  (divulgação)



Bradley Manning's Nobel Peace Prize



Whistleblower Bradley Manning has been nominated for the Nobel Peace Prize, and he should receive it.




No individual has done more to push back against what Martin Luther King Jr. called "the madness of militarism" than Bradley Manning. And right now, remaining in prison and facing relentless prosecution by the U.S. government, no one is more in need of the Nobel Peace Prize.Alfred Nobel's will left funding for a prize to be awarded to "the person who shall have done the most or the best work for fraternity between nations, for the abolition or reduction of standing armies and for the holding and promotion of peace congresses."

The intent of the prize was to fund this work. As a result of enormous legal expenses, Bradley Manning is in need of that funding.

Please sign this petition to the Norwegian Nobel Committee.



I urge you to award the Peace Prize to Bradley Manning.




- Texto e Petição em:   RootsAction


________









quarta-feira, 26 de junho de 2013

Exorto-vos a revogar o Prémio Nobel da Paz que foi atribuído a Obama!




- Pela Revogação do Nobel da Paz a Obama - Petição  (divulgação)



Revoke Obama's Nobel Peace Prize






After receiving the 2009 Nobel Peace Prize, President Obama has made perpetual war look more perpetual than ever.

Today, there are more U.S. troops in Afghanistan than when Obama took office. His increasing intervention in Syria promises the loss of even more than the nearly 100,000 lives already needlessly sacrificed.  His intervention in Libya cost thousands of lives while destabilizing the entire region.  His presidency has widened the use of drones and other instruments of remote killing without limit to almost any place on the globe.

Please sign this petition to the Norwegian Nobel Committee:



I urge you to rescind the Nobel Peace Prize that was awarded to Barack Obama.




- Texto e petição em:   RootsAction



domingo, 16 de junho de 2013

Os EUA como 1 regime totalitário ...




- Segue-se uma entrevista com 1 ex-agente da NSA ("Agência de Segurança Nacional dos EUA"), William Binney - ao canal RT, a 12 de Junho último - com várias informações e vários elementos de interesse ...


- Apresento uma tradução, livre, de uma pequena passagem (uma pergunta da jornalista e respectiva  resposta):


" (...) P.: O que significa o "patriot act" para as liberdades americanas?

R.: Significa que não as temos. Está-se perante a criação de 1 estado totalitário. Quando o governo está na posse de tamanha informação, podem usar o "IRS" para intimidar as pessoas ou qualquer outra coisa. Podem usar o FBI contra as pessoas, como o fizeram comigo e com outros. É o poder que o governo tem - tem o poder das armas e da força e se a isso se juntar 1 enorme manancial de conhecimentos [íntimos e individuais, tanto dos EUA como de qualquer outro país], então o poder [do governo] sobre as pessoas é praticamente ilimitado, podendo usá-lo quando quiserem - especialmente sobre [e se se trata de] pessoas que de alguma forma discordam das suas políticas (...)"

_______







sexta-feira, 14 de junho de 2013

Em defesa de Edward Snowden - Petição




(divulgação)






Em defesa de Edward Snowden



Postado:  12 junho 2013


Este analista de sistemas de 29 anos deixou para trás toda a sua vida: sua namorada, seu emprego e sua casa, para denunciar um chocante programa do governo dos EUA chamado PRISM. Esse programa leu e arquivou uma cópia de todos os nossos emails, mensagens enviadas pelo Skype, publicações no Facebook, e telefonemas durante anos. 

Quando o soldado Bradley Manning tornou público esse mesmo tipo de informação para o Wikileaks, os EUA o confinaram a uma cela solitária na prisão, nu e em condições que a ONU definiu como sendo "crueis, desumanas e degradantes". 

As autoridades e a imprensa estão decidindo como lidar com este escândalo. Se milhões de vozes em nossa comunidade apoiarem Edward nas próximas 48 horas, isso vai transmitir uma poderosa mensagem de que ele deve ser tratado como alguém corajoso por ter feito esse tipo de denúncia, e que o programa PRISM – e não ele – deve ser o alvo do ataque dos EUA.


______


-Petição:


Ao Presidente Barack Obama:


Exigimos que V. Exa garanta que o autor da denúncia do PRISM, Edward Snowden, seja tratado de forma justa, humana e de acordo com o devido processo legal. O programa PRISM é uma das maiores violações à privacidade já cometidas por um governo. Exigimos que V. Exa acabe com este programa imediatamente, e que Edward Snowden seja considerado como autor de uma denúncia agindo em nome do interesse público -- não como um criminoso perigoso.


- Texto e petição em: avaaz.org



quinta-feira, 13 de junho de 2013

quarta-feira, 12 de junho de 2013

quarta-feira, 5 de junho de 2013

terça-feira, 4 de junho de 2013

Monsanto vs Mãe Terra - Petição





(divulgação)







Monsanto vs Mãe Terra




É inacreditável, mas a Monsanto e outras empresas deram a cara novamente. Essas empresas de biotecnologia sedentes por lucro encontraram uma maneira de ter controlo exclusivo sobre as sementes da vida, a fonte dos nossos alimentos. Elas estão tentando adquirir patentes sobre as variações dos vegetais e frutas usados em nosso dia-a-dia, como pepinos, brócolos e melões, praticamente forçando os produtores a indemnizá-los por essas sementes e ameaçando-os de processos se assim não o fizerem.

Mas podemos impedi-los de comprar a nossa Mãe Terra. Empresas como Monsanto descobriram falhas na legislação Europeia para terem direito exclusivo sobre sementes convencionais, portanto precisamos fechar esses buracos antes que isso se torne um precedente global. E, para isso, precisamos que países como Alemanha, França e Holanda -- onde a oposição está ganhando corpo -- peçam uma votação para acabar com os planos da Monsanto. A comunidade da Avaaz já mudou o curso de decisões de governos antes, e podemos fazer isto novamente. 

Muitos fazendeiros e políticos já são contra -- só precisamos agora adicionar um pouco do poder popular para colocar pressão nestes países e manter as mãos da Monsanto longe da nossa comida.Assine agora e compartilhe com todos para assim criarmos o maior protesto em defesa dos alimentos que já existiu.



_____


- Petição:


Aos governos da Alemanha, França, Holanda e todos os países signatários da Convenção Europeia de Patentes:

Enquanto cidadãos preocupados, instamos a que assumam a liderança para consertar a lei de patentes europeia clamando ao Conselho Administrativo da Organização Europeia de Patentes que preencham os buracos de legislação que permitem às grandes empresas privadas patentearem as variedades de plantas e os métodos tradicionais de produção de alimentos. Proteções e proibições claras e efetivas são necessárias para proteger os consumidores, produtores agrícolas e criadores do controle das corporações sobre nossa cadeia de produção alimentar.


- Texto e Petição em:  avaaz.org



domingo, 2 de junho de 2013

"A rara coragem de Bradley Manning" - Por Marjorie Cohn





(divulgação)



A rara coragem de Bradley Manning

Militar americano declarou-se culpado em 10 acusações das 22 acusações que lhe foram feitas, entre as quais passar informação a pessoa não autorizada. Mas manteve a declaração de “inocente” nos demais 12 crimes de que é acusado, como os de espionagem a favor do inimigo e colaboração com o inimigo, cuja pena é a prisão perpétua. Por Marjorie Cohn, Countercurrents


ARTIGO | 1 MARÇO, 2013 - 17:48







Pela primeira vez Bradley pôde falar publicamente sobre o que fez e porquê. As suas ações, agora conhecidas pelas suas próprias palavras, mostram um jovem soldado muito corajoso.

Quando tinha 22 anos, o cabo Bradley Manning entregou documentos secretos à WikiLeaks. Entre esses documentos, o vídeo conhecido como “Collateral Murder” [Assassinato Colateral], em que se veem militares norte-americanos num helicóptero Apache, assassinando 12 civis desarmados, dos quais dois eram jornalistas da Agência Reuters, e ferindo duas crianças.

“Supus que, se o público, principalmente o público norte-americano, assistisse àquele vídeo, talvez surgisse algum debate sobre os militares e a nossa política exterior em geral, como era aplicada ao Iraque e ao Afeganistão” – disse Bradley diante do tribunal militar que o está a julgar, durante as formalidades da sessão em que se declarou culpado em algumas das acusações. – “Supus que o vídeo pudesse levar a sociedade norte-americana a reconsiderar a necessidade de envolver-se em operações de antiterrorismo, sem nada saber sobre a situação humana das pessoas contra as quais disparamos todos os dias.”

Bradley disse que se sentiu frustrado por não ter conseguido convencer os seus superiores a investigar os factos que se veem no vídeo “Assassinato Colateral” e outras imagens e escritos de “pornografia bélica” que havia nos arquivos que entregou à WikiLeaks.

“Fiquei muito perturbado, quando não vi qualquer reação diante de crianças feridas.” O que mais perturbou Bradley foram os soldados que se veem no vídeo, que “parecem não dar valor algum à vida humana e referem-se [aos alvos dos tiros], como “filhos da puta mortos” [dead bastards].

Pessoas que se aproximaram para resgatar os feridos também foram alvejadas e mortas. A ação dos soldados norte-americanos que se veem naquele vídeo é tipificada como crime de guerra nos termos das Convenções de Genebra, que proíbe de disparar contra civis; impedir resgate e socorro de feridos; e destruição de cadáveres para impedir que sejam identificados.

Ninguém da WikiLeaks pediu ou o estimulou a dar os documentos, disse Bradley. “Ninguém associado com a Organização WikiLeaks (WLO) pressionou para que lhes desse mais informação. A decisão de entregar documentos à WikiLeaks foi exclusivamente minha.”

Antes de fazer contacto com a WikiLeaks, Bradley tentou interessar o Washington Post a publicar os documentos, mas não recebeu qualquer resposta do jornal. Tentou fazer contacto também com o New York Times, sem sucesso.

Durante os primeiros nove meses de detenção, Bradley foi mantido em cela solitária – o que caracteriza tortura, dado que o isolamento pode levar a alucinações, catatonia e suicídio.

Bradley manteve a declaração de “inocente” nos demais 12 crimes de que os promotores do tribunal militar o acusam, dentre outros o de espionagem a favor do inimigo e colaboração com o inimigo, cuja pena é a prisão perpétua.

As ações de Bradley Manning fazem lembrar o que fez Daniel Ellsberg, que divulgou os “Papéis do Pentágono”, no qual se expunham as mentiras do governo dos EUA e que apressaram o fim da Guerra do Vietname.

1/3/2013

Marjorie Cohn é professora da Faculdade de Direito Thomas Jefferson e ex-presidente da National Lawyers Guild [uma espécie de Ordem dos Advogados dos EUA]; é vice-secretária geral de comunicações da Associação Internacional de Advogados Democráticos e representante dos EUA no Comité Executivo da Associação Americana de Juristas. É autora de Cowboy Republic: Six Ways the Bush Gang Has Defied the Law [República dos cowboys: seis vezes em que o gang de Bush desobedeceu à lei] e co-autora, com Kathleen Gilberd, de Rules of Disengagement: The Politics and Honor of Military Dissent. Pode-se ler uma antologia dos seus escritos em The United States and Torture: Interrogation, Incarceration and Abuse. Outros artigos da professora Marjorie Cohn são acessíveis em www.marjoriecohn.com

Publicado em CounterCurrents

Tradução do coletivo da Vila Vudu


(Os destaques, a vermelho, são da minha responsabilidade)


- A partir de:  Esquerda.net




sábado, 1 de junho de 2013

Recomendação de uma ida a banhos




1 – Vieram, como é sabido, recentemente a público notícias acerca de (enigmáticos) desejos secretos, até ao momento, de Passos Coelho (PC).
O mensageiro de tais novidades foi, como também é sabido, António Passos Coelho (APC) em pessoa.
Revelou, este, em 1ª mão, que “ele [PC] está morto por se ver livre disto”.

(Tais revelações, levantam, como com facilidade se reconhecerá, sérias e preocupantes (permito-me comentar), dúvidas por aquele (APC) não esclarecidas acerca do que a expressão possa, exactamente,  significar. Ocorre-me; referir-se-á às funções por PC desempenhadas?; ou referir-se-á aos resultados, por este, obtidas no desempenho das mesmas? ...
(Ou, talvez, ainda, à existência de leis nacionais – uma aparente contrariedade para alguns ...)
Talvez no futuro o referido mensageiro possa contribuir para o desvanescimento das mesmas - o que, julgo, não seria uma questão de somenos, pois tal concretização poderia mostrar-se 1 precioso contributo ao permitir 1 melhor conhecimento da pessoa em causa e do seu papel, a escrever, (juntamente com o dos seus antecessores) na história recente do país ...)

2 – Através da mesma declaração, o país é informado da (preocupante, acrescento, com enorme pesar ...) situação de sofrimento de PC; “Sabe Deus [prossegue APC] o que ele passa, coitado”.
Que o progenitor de figura política de 1º plano (como é o caso em apreciação) se mostre preocupado é não só, perfeitamente compreensível como natural ...
Parecendo, no entanto, que nem a benção conjugada de Belém, Fátima e dos pastorinhos conseguem apaziguar tão martirizado espírito ...

- Segue-se imagem, não invulgar, neste país de generalizada fé ...




Imagem (ocasionalmente obtida) da encarnação do espírito virginal mariano em Belém, aquando, da sagrada bênção ao país e aos seus responsáveis políticos


3 – Por fim, o mensageiro de tão infortunadas revelações assume 1 compromisso com a realização de 1 familiar festejo; “A gente vai fazer uma festa cá na família, quando ele [PC] se vir livre disto (...) nem queira saber [remata APC]”.

(Aproveito para acrescentar que se o resultado a  05/06/2011 tivesse dado a vitória ao partido da alternância (então no poder), seria este – acompanhado ou não - quem estaria neste momento a cumprir o acordo com a troika, por ele assinado (com o entusiasmado apoio dos actuais governantes). Com resultados – politicos, económicos e sociais - não  (por certo) muito diferentes dos obtidos pelos actuais. À semelhança do (e a julgar pelo)  sucedido na Grécia com o PASOK e Papandreou (tendo este obtido maioria absoluta em 2009, até à sua queda em 2012 – com os resultados económicos e sociais conhecidos ...))

4 – Relativamente a PC – e, dadas as acima referidas circunstâncias, informo estar disposto, apesar do enorme sentimento de perda, a prescindir dos seus serviços, assim como do dos restantes governantes ...

- Apresentando, desta forma, a minha sentida solidariedade a tão preocupado progenitor.

- Afirmo, ainda, em conclusão, encontrar-me verdadeiramente condoído perante tais revelações – pobre homem ...o que a dedicação à coisa pública pode exigir dum ser humano ... 
- Inaceitável!  
- Tais contrariedades urgem ser mitigadas! Afirmo peremptoriamente!