sexta-feira, 10 de setembro de 2021

Excepcionalistas (notas avulsas)

 





- Ser ou não ser excepcional, eis a a questão!

- Sê-lo, excepcional, é privilégio (por definição) apenas de alguns. 

- O excepcional não existe no universo dos demais – os excepcionais criam os seus próprios.

- Os excepcionais criam os seus universos paralelos para – através deles – intervirem no dos demais. 

- Os excepcionais dispensam a realidade.

(O excepcional que determinou a invasão do Iraque esclareceu-nos a esse respeito; 'Para que é que nós precisamos da realidade, quando podemos criar a nossa própria?')

- Há 2 paralelismos que podem ser estabelecidos com o 'excepcional'; o recém-nascido ou o louco. 

- Os excepcionais são fabuladores.

- A História do excepcional é uma efabulação.

- É apanágio da excepção – como direito e dever – defender e praticar o excepcional.

- Os excepcionais foram escolhidos pelo divino.  

- Os excepcionais foram ungidos pelo divino.

- Os excepcionais foram instalados no cimo da colina pelo divino.

- O excepcional olha do alto da colina para os restantes.

- Aos excepcionais foram entregues as chaves de cada país e residência individual do planeta.

- Aos excepcionais o divino forneceu autorização de entrar, invadir e sair de  cada país quando o entendam. 

- Aos excepcionais o divino deu a (divina) missão da decisão do destino dos demais.

- O destino do mundo é o 'destino manifesto' do excepcional.

- Os excepcionais sucederam-se no tempo.

- Cada tempo tem os seus (excepcionais).

- Roma.

- Os europeus espalharam a palavra e a civilização.

- Os europeus civilizaram os selvagens de latitudes várias. 

- Os europeus – como paga pelo acto civilizador – extorquiram as riquezas dos selváticos. 

- Os europeus domesticaram, agrilhoaram, comercializaram e escravizaram os incivilizados.

- No século devastador houve o excepcionalismo da 'raça' superior ariana.

- A 'raça' superior pôs em prática a proliferação da sua excepcional superioridade.

- Os seres superiores criaram programas e práticas de domínio e eliminação dos inferiores.

- A África do Sul e o apartheid. 

- A excepcional superioridade 'racial' branca.

- O apartheid sul-africano teve como aliado, o país do apartheid instalado no 'cimo da colina'.

- O apartheid africano combateu implacavelmente os 'terroristas' do ANC. 

- Os colonialistas africanos aprisionaram o 'terrorista' Mandela.

(Os excepcionalistas instalados no cimo da colina mantiveram Mandela na sua lista de 'terroristas' e 'ameaça à sua segurança nacional' até Julho de 2008. Tendo os excepcionalistas mantido nesse quadro de honra Mandela durante cerca de 60 anos. Como se tal não fosse suficiente; uma série de resoluções de condenação do apartheid sul-africano foram rejeitadas por estes (juntamente com 2  aliados europeus ou isolados; 123-1, 124-1, …) na ONU, desde 1976)

- Os excepcionais do Próximo e Médio Oriente.

- O 'povo escolhido' e o apartheid sionista.

- Ao, excepcional, 'povo escolhido' pertence por direito divino a Palestina. 

- O 'povo escolhido' criou e muralhou o gueto de Gaza (à semelhança do gueto de Varsóvia da 'raça' ariana. Com a diferença, de em Gaza caberem mais de 100 guetos de Varsóvia e ter quase o quádruplo da sua população).

- Ao, superior, 'povo escolhido' foi entregue, pelo altíssimo, a supervisão de Gaza.

- O, excepcional, 'povo escolhido' vigia Gaza. 

- O 'povo escolhido' controla Gaza. 

- O 'povo escolhido' esmaga Gaza.

- O 'povo escolhido' coloniza a Cisjordânia. 

- O 'povo escolhido' conquista a Cisjordânia. 

- O, excepcional, 'povo escolhido' ocupa a Palestina. 

- O 'povo escolhido' parte a Palestina.

- O 'povo escolhido' segrega os Palestinianos.

- O 'povo escolhido' limpa etnicamente a Palestina.

- Ao 'povo escolhido' foi 'atribuída pelo divino a grande Jerusalém'. 

- O 'povo escolhido' expulsa os, inferiores, Palestinianos da Palestina. 



- Os excepcionais são afins.




- 'God bless the exceptional'  e os seus excepcionalismos!







segunda-feira, 26 de julho de 2021

25 de Abril – “A noite do Golpe de Estado” e Otelo Saraiva de Carvalho

 



- Os acontecimentos da madrugada do 25 do Abril que puseram fim a 50 anos de ditadura e fascismo e abriram caminho à Revolução de Abril – relatados pelo seu mentor e organizador Otelo







Filme/Documentário realizado por Ginette Lavign 

(Filme dedicado, entre outros, aos mortos pela PIDE no dia 25 de Abril de 1974)





quarta-feira, 9 de junho de 2021

UEFA-israel-Palestina

 












_________________________   









quinta-feira, 27 de maio de 2021

Bandidos e banditismo

 




Escroques, pulhas, canalhas e banditismo como prática política 




_______________  



(divulgação) 




Fernanda Câncio

24 Maio 2021 — 18:40


 

André Ventura e Chega condenados. Advogada congratula-se: "A humilhação de pessoas negras e pobres não pode ser uma arma retórica à disposição de atores políticos."

 

 

Líder e partido têm 30 dias para publicar retratação pública das ofensas dirigidas à família a quem chamaram "bandidos" e "bandidagem". "Com esta decisão, ficamos a saber que a humilhação de pessoas negras e pobres não pode ser uma arma retórica à disposição de atores políticos", diz a advogada da família.




Adecisão que condena o Chega e o seu presidente refere-se à exibição, por André Ventura, durante o debate televisivo das presidenciais com Marcelo Rebelo de Sousa, da fotografia de sete pessoas residentes no Bairro da Jamaica, todas da mesma família, com o presidente da República, quando este visitou aquele bairro em fevereiro de 2019, assim como à utilização pelo partido, na sua conta de Twitter, da mesma foto para a opor a uma imagem de Ventura com homens brancos, um deles com uma t-shirt do Movimento Zero, com a legenda "Eu prefiro os portugueses de bem".

A juíza Fátima Preto, da primeira instância do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa, reconheceu "a ilicitude das ofensas ao direito à honra e ao direito à imagem" dos autores da ação (os sete membros da família Coxi) e condenou André Ventura e o Chega a retratarem-se dessas ofensas nos locais onde as concretizaram - SIC, SIC Notícias, TVI e conta do partido no Twitter, onde deve ser também reproduzida a sentença. Têm 30 dias para o fazer; a partir desse prazo, terão de pagar 500 euros por cada dia que passe sem o fazerem.

Líder e partido são também condenados a "abster-se de proferir ou divulgar, no futuro, declarações ou publicações, escritas ou orais, ofensivas ao bom nome" dos membros da família, sob pena de pagarem por cada ofensa, 5000 euros.VER

"É uma excelente notícia, não só para a justiça do caso concreto, mas que tem também relevo de interesse público", diz ao DN Leonor Caldeira, a advogada que representa pro bono os sete Coxi. "Num Estado de Direito democrático, são os tribunais que definem as linhas vermelhas da liberdade de expressão. Com esta decisão, ficamos a saber que a humilhação de pessoas negras e pobres não pode ser uma arma retórica à disposição de atores políticos - e essa certeza é muito importante, para a afirmação dos direitos humanos e para proteção do direito fundamental à honra e à imagem de todos."

Na Sentença, frisa a causídica, "é possível ler que 'chamar aos Autores bandidos e referir-se a eles como bandidagem (...) trata-se da emissão de um juízo de valor que as diminui e marginaliza'. Os meus Constituintes não são bandidos, nunca atacaram uma esquadra policial e não vieram para Portugal, como foi alegado por André Ventura, 'única e exclusivamente para beneficiar do Estado Social'. Por outras palavras, não são o 'oposto' dos Portugueses de bemPelo contrário, no momento da fotografia com Marcelo Rebelo de Sousa, apenas uma das pessoas aí constante tinha no seu registo criminal a inscrição de dois crimes menores e não violentos. De resto, mais ninguém tinha (nem tem) registo criminal. O Tribunal não só reconhece a falsidade das declarações de André Ventura e do Partido Chega como reconhece que a imagem dos Autores foi instrumentalizada para representar tudo aquilo a que dizem opor-se, utilizando uma linguagem depreciativa, em que atribui a uma categoria de indivíduos ou a um grupo com características físicas e sociais determinadas, decalcadas nas características dos Autores que são vistos ao mesmo tempo que são proferidas as palavras, factos que sabe serem eticamente reprováveis".

E, contrariando a ideia que Ventura deu, quando confrontado com a existência da ação, de que esta tinha andado de forma "estranhamente rápida", Leonor Caldeira explica que se trata de "um processo especial que tem, nos termos da lei, uma tramitação mais célere e, portanto, não existe qualquer estranheza quanto à rapidez do andamento do processo e da decisão. Não pode ser comparado com os mega-processos de natureza criminal, que habitualmente demoram vários anos a serem decididos. Pelo contrário, este é um processo de natureza cível, relativamente simples, com poucos factos e todos de conhecimento público. Também por isso se explica a sua rapidez."

Recorde-se que André Ventura afirmou várias vezes que nunca pediria desculpa. Já o Chega tinha apagado o tuite alvo da ação antes mesmo da comparência em tribunal, a 10 de maio. O DN está a tentar obter a reação de Ventura e do Chega a esta condenação.

 

 

 ____ 

 

 

 

(Artigo publicado em Diário de Notícias)  





segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

O Reverendo

 





O Encoberto



Perdido há séculos na bruma, emerge finalmente do nevoeiro para cumprir Portugal.

O divino traçara-lhe o salvífico destino – ali mesmo – na pia baptismal ao atribuir-lhe tão bem-aventurado nome. Sem réstia de dúvida este predestinava-o a grandes feitos.

Por terras lusas, já o sapateiro de Trancoso o profetizara há 5 séculos.

O divino – confessa-nos a encarnação de Quibir – surgiu-lhe, falou-lhe e revelou-lhe a missão: mudar e salvar Portugal!

A matéria que tem corrompido a grandiosidade nacional urge ser amputada sem demora e sem sombra de misericórdia.

O país tem que ser resgatado e devolvido à grandeza e glórias passadas – de séculos. Quanto antes!



O prosaico



1 – Internamente, para tal, mobilizará os humilhados, os ofendidos, os esquecidos. 

Estes acorrerão, aos magotes, dos bairros (periféricos), das praças, dos subúrbios de toda a nação, que, sem descanso; enclausurarão, castrarão, enforcarão, perseguirão sem tréguas todo e qualquer prevaricador. (Entre eles encontrar-se-ão, por certo, os candidatos a futuros camisas negras, castanhas ou de uma qualquer outra cor)

Já é tempo de alguém pôr ordem e limpar o pântano!


2 – Externamente, virão, sem dúvida, em seu auxílio as forças anti-corrupção internacionais; Orbán, Le Pen, Salvini, os “identitários” (austríacos, franceses, italianos, alemães, …), “supremacistas brancos” de  latitudes várias, skinheads onde quer que estejam (Bolsonaro, acompanhado dos esqueletos da ditadura militar brasileira, marcará também presença) ...

Assim como as – infatigáveis e indispensáveis – forças paramilitares ucranianas. Estas frescas dos campos de treino militar espalhados por toda a Ucrânia, que além de possuírem o treino militar dos campos têm ainda a - preciosa - prática do combate sem tréguas à “escumalha judaica, comunista e russa” no Leste e  Sul do país.

Marcarão, sem dúvida, presença; Tyahnybok e o Svoboda, Yarosh e o Right Sector, o batalhão Azov, o batalhão Aidar  (e outras dezenas de “batalhões” paramilitares existentes na Ucrânia pós-golpe).

Trazem, eles, até ao extremo ocidental do continente a tão esperada “Reconquista da Europa”. 


3 – É claro que a sua principal pretensão é colocar-se no púlpito nacional e ter à sua frente hordas de fervorosos seguidores e idólatras batendo no peito em fervorosos êxtases místicos. 

Parece também claro que os seus lineares brados ecoam em muita gente e são eco de muita gente. Uns ansiosos por ordem, músculo e autoridade, outros por crucificar e queimar bodes expiatórios  - origem dos males do mundo e dos seus ...

É destituído  de programa, de ideias e de substância - o seu projecto; o alimento do ego, a auto-satisfação, a idolatria … 



- Pois, que venha a “Reconquista da Europa”. (talvez o SARS-CoV-2 e o divino ajudem).





sábado, 19 de dezembro de 2020

Bolachas

 










De farinha e água 

acostumadas

amassadas

arredondadas

espalmadas

enformadas 

formatadas

empacotadas

embaladas

acabadas

                              (depois)

intermediadas

distribuídas

vendidas

                              (a gosto)

compradas 

levadas


guardadas

arranjadas

agarradas

conduzidas

mastigadas

dentadas

ensalivadas

deglutidas

ingeridas

digeridas


defecadas!





quinta-feira, 11 de abril de 2019

Manifesto












                                                                             Teresa May:
                                                                                           “A prisão de Assange mostra que
                                                                             ninguém está acima da lei”




__________











- Arrastaram-vos, exactamente, para mostrar que os poderes – imperiais – fora da lei podem – e devem continuar IMPUNEMENTE – a sê-lo!

- Arrastam-vos, porque não toleram a denúncia e a revelação das suas práticas de assassínios de inocentes – homens, mulheres, crianças – em massa. Onde querem e quando querem!

- Arrastam-vos, porque não admitem o escrutínio cidadão e a exposição dos seus crimes e violações dos direitos civis dos cidadãos (por todo o globo)!

- Arrastam-vos, porque odeiam a liberdade de expressão!

- Arrastam-vos, porque não suportam a liberdade!

- Arrastam-vos, como aviso, intimidação e ameaça a futuras prática idênticas (às vossas)!

- Ficai sabendo, que o vosso aprisionamento, é o aprisionamento de todos a quem a decência, a integridade e a coragem corre – rubra – nas veias e invade os espíritos!

- Sabei, que o vosso aprisionamento, é o confinamento feroz e cego das consciências livres que pugnam pela justiça e pela verdade (onde quer que se encontrem)!

- O vosso aprisionamento, é o estrondo abjecto das botas cardadas dos gangues de pistoleiros sem lei; pelas ruas e calçadas do planeta!

- O vosso aprisionamento, é a manifestação dos cowboys que cavalgam loucos – ceifando vidas e colhendo territórios, como se não houvesse fronteiras, autonomia e vidas humanas a respeitar!


- Por difícil, dura, insuportável que a privação e a provação que os carrascos vos impõem; sabei que permaneceis, no espírito, no corpo, no pensamento quotidiano de muitos!

- Sabei, que os grilhões com que vos acorrentam, os sentimos na pele e na carne como nossos!

- Sabei, que são eles os criminosos; meticulosos, impiedosos, frios, implacáveis – por interesse, insalubridade mental e perversão (de Bush a Obama, de Blair a Trump, …)!

- Que são eles, os que vos perseguem e o cárcere impõem; que a ele deveriam ser lançados!

- Ficai sabendo, que nós sabemos, tal como vós, isso!

- Lembro-vos, que são poder e força bruta – mas que vos temem; que tremem (intimamente) perante vós e o vosso exemplo!

- Lembro-vos, que acima de tudo, o resto, fazeis-lhes gelar o líquido – não sanguíneo – que lhes corre nas veias!

- Lembro-vos, que os fazeis ficar petrificados com o vosso exemplo!

- Por isso, se abatem – miseravelmente (como ratazanas) – sobre vós!




- Aprisionam-vos, porque não suportam a liberdade!






_______________








_________________________





Outras Etiquetas: 

transparência, NSA, Afeganistão, Iraque, Iémen, Paquistão, Somália, drones, tortura, Guantánamo, Abu Ghraib, ONU, Carta da ONU, rimes Contra a Humanidade, prisões secretas CIA, Direitos Humanos, Fósforo branco, Urânio empobrecido, alterações genéticas, Fallujah, julgamentos extrajudiciais, Convenções de Genebra, Convenção das Nações Unidas contra a tortura e …, Bush, Rumsfeld, Cheney, Obama, Trump, Bair





sexta-feira, 15 de março de 2019

A ti ...

 














A ti, 
poeta 
do indizível 
pintor
do incorpóreo
músico breve
filósofo
cineasta 
do fecundo
esteta 
do improvável

em etéreas 
deambulações
pelas orlas do infinito
por vezes encontro

teu sentido trágico
inspiro

abobadados vãos
de arcos em destroços,
despojos de pedra e memória,
percorro
nostálgico
socorro-me
em ti
de ti 
de mim






tu,
arquitecto 
de saberes múltiplos

convoco-te,
errático 
evoco
tua imponderável 
sabedoria
bela
grave
plena

comovo-me!
transmuto-me
num espasmo
perante a autenticidade 
insondável
dos rostos
dos gestos
que apenas a tua mestria os segredos conhece






ondulo
ao sabor 
vibrante
suave
transparente
da líquida corrente

o espanto
espreita
invade-me!
atordoa-me!

teu sussurro 
perene
toca-me
acaricia-me 

a brisa
sopra
volatiliza
a matéria,
vivifica-a!





a ti,
com urgência
recorro
uma
e outra
vezes mil!

em tua múltipla plenitude
recosto-me
aconchego-me
adormeço ...







quinta-feira, 16 de junho de 2016

18 Junho

















_______________



(Divulgação)



Escola Pública sai à rua reafirmando o seu papel primordial na promoção de igualdade de oportunidades...



Dia 18, sábado, a Escola Pública sai à rua e nela reafirmará a sua natureza democrática. Uma matriz que impõe que seja promotora de igualdade de oportunidades, logo, uma escola de qualidade, para todos e inclusiva. Uma escola democrática que também impõe a gratuitidade.


(...)




- A partir de: FENPROF




quinta-feira, 2 de junho de 2016

Em Defesa da Escola Pública: gratuita, de qualidade, para todos - Petição

















_______________




(Divulgação)





Em Defesa da Escola Pública: gratuita, de qualidade, para todos



Para: Ministério da Educação, Primeiro-Ministro, Presidente da Assembleia da República, Grupos Parlamentares na Assembleia da República, Presidente da República



Defendemos o direito a uma educação gratuita, de qualidade e para todos.

A Escola Pública, ao longo dos últimos anos, tem sofrido diversos cortes no seu financiamento, que somam já cerca de dois mil milhões de euros. Em consequência temos :

- piores condições de ensino;
- reduções drásticas do número de professores, funcionários e técnicos;
- encerramento de centenas de escolas;
- criação de ingovernáveis mega-agrupamentos;
- degradação do parque escolar;
- deterioração do serviço prestado nos refeitórios;
- redução dos apoios sociais.

Nós, pais e encarregados de educação, professores, alunos, funcionários e toda a população defendemos com determinação o direito ao ensino público de qualidade, o cumprimento da Constituição da República Portuguesa e da Lei de Bases do Sistema Educativo, na certeza de que só assim se garante, um verdadeiro investimento na infância e juventude do nosso país.

Os signatários deste abaixo-assinado vêm exigir ao Governo e ao Ministro da Educação urgentes modificações na política educativa nomeadamente:

- redução do número de alunos por turma, permitindo melhor acompanhamento pedagógico;
- vinculação dos professores às escolas, promovendo mais estabilidade e continuidade pedagógica;
- revisão do rácio de auxiliares de acção educativa e a sua vinculação às escolas;
- contratação do número de técnicos necessários para os alunos com Necessidades Educativas Especiais e a outras actividades;
- dissolução dos mega-agrupamentos passando para unidades educativas de maior proximidade e mais fácil gestão;
- valorizar a avaliação contínua, suspendendo os exames nacionais;
- alargamento dos apoios sociais garantindo o acesso ao ensino em condições de igualdade;
- intervenção urgente em todo o parque escolar degradado ou insuficiente, garantindo condições dignas para todos.

Em Defesa da Escola Pública, de qualidade, gratuita, para todos.






Petição em:   Em Defesa da Escola Pública 







domingo, 10 de janeiro de 2016

Naufrágio









Diluo-me,
a cor a forma a substância
fundem-se

liquefeito,
escorro
pelo rugoso soalho
aleatório
espalho-me
informe,
preencho cada
reentrância
salto cada
saliência

ondulo,
ao ritmo
descoordenado
do contentor

molécula a molécula
a amálgama
é sugada
pelas porosas paredes em volta,
alastro

reencontrada,
cada gota
acelerada tomba
expludo a cada embate,
fragmento-me

partículas mil
em redor
são projectadas,
estilhaçam-se

no exterior,
a tempestade uiva
os silvos
as ondas,
fustigam
os mastros
oscilam
em direcções múltiplas,
desordenados
rangem

outrora velas
os farrapos
são sacudidos,
violentos

contorcido,
o casco
quebra-se
doloroso

longos,
inaudíveis
gemidos
perdem-se
em redor
inúteis

a tormenta
incessante
de vaga em vaga
lança os escombros

despedaçado
nos oceanos infindos

longe
os destroços

flutuam …

alastram ...








domingo, 20 de dezembro de 2015

Foge comigo!










Vem comigo!
foge comigo!
rumamos ao Pólo Sul
ao fim do mundo

fraco
e trémulo
perante ti
arrebatado
em mim

subimos à Lua
ao astro opalino
no topo da noite

saltamos de cratera em cratera
empoeiramo-nos de cometas
bebemos os raios de sol
no lado escuro da Lua

pulamos até Marte
rebolamos nus
nas areias ferruginosas
deslizamos velozes
pelos longos vales
e escarlates
sondamos Marte
pesquisamos Marte
investigamos Marte
descobrimos Marte

ah!
a teus pés
com o peito latejante
e o coração em Neptuno
olho-te,
a cada pulsação
venero-te

querida Inês,
bela Inês,

febril
envolvo-te
saboreio teus lábios
sequioso,
banho-me em tua pele

mergulho em ti
refresco-me em ti
nado em ti
em tuas puras águas
pairo

tuas cristalinas águas
descubro,
(re)descubro-me ...







terça-feira, 10 de novembro de 2015

Animais de guarda









Têm-se mostrado
particularmente agitados …

Buldogues, pitbulls e raças afins
têm sido reveladas
abundantes
pela situação existente

Após o ladra mor
enraivecido
caninos de pedigree
têm nervosos
ruidosamente grunhido

De focinho arreganhado
a matilha tem corrido, saltado e despedaçado
incessante

A baba fétida e viral
tem irrompido imparável
em jorros pela praça

De caninos em riste
em exibições de grupo
rosnam, cheiram-se, guincham
pela pradaria pública

Como animais territoriais
por excelência e selecção
têm com zelo
feito a defesa do seu …

… canil!








quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Surdez






















Grito com todas as minhas entranhas,
caio
dentro de mim
mergulho nelas

observo o interior exteriorizado

caio
fundo
ecos ressaltam múltiplos
de órgão em órgão
de parede em parede
de membrana em membrana

líquidos ácidos
escorrem
corroem

o tombo sem fim
em mim
em decrescente velocidade
o dilatado tempo

o espaço
expande
em mim
intérmino
contínuo
uno

nele pairo
sobre mim
em mim
rosados órgãos
observo
peças dum autónomo mecanismo
orgânica engrenagem

sons estendem-se
distorcem-se
internamente
com o espaço

a queda continua
contínua

no interior
de mim
a viagem
infinda
prossegue

as vísceras afastam-se
entre si
de mim
debalde
tocar tento

um grito surdo
em vão
desabitado
a plenos pulmões
liberto

a matéria
em volta
deforma-se
ondula em torno de mim
com ela oscilo

a queda
pelas minhas entranhas
continua
sem fim
sem tempo

os confins
de mim
prosseguem
fugidios
inacessíveis ...







segunda-feira, 21 de setembro de 2015

"Welcome to the machine!"








(divulgação)






Diário Digital com Lusa



21-09-2015



Comissão Europeia «encorajada» com novo parlamento pró-europeu











A Comissão Europeia felicitou hoje Alexis Tsipras pela sua vitória nas eleições de domingo nas eleições legislativas na Grécia, e afirmou-se «particularmente encorajada com a ampla presença no novo parlamento grego de partidos políticos pró-europeus».



O porta-voz do executivo comunitário, Margaritis Schinas, indicou na conferência de imprensa diária da Comissão que o presidente Jean-Claude Juncker vai ainda hoje à tarde ter a oportunidade de conversar com Tsipras, reconduzido no cargo de primeiro-ministro, na sequência do triunfo do Syriza nas eleições antecipadas de domingo, agora já sem a ala mais radical do partido.



«Foi sob a liderança de Alexis Tsipras que a Grécia se comprometeu com um ambicioso programa de reformas», no quadro do acordo assinado em agosto para um terceiro programa de assistência à Grécia, pelo que «o novo governo terá agora o mandato para implementar estas reformas», comentou o porta-voz.



Sublinhando que «a Comissão está pronta para ajudar» as autoridades gregas, Margaritis Schinas lembrou que «há muito trabalho pela frente e não há tempo a perder», e reafirmou o objetivo de a primeira revisão do terceiro «resgate» à Grécia ter lugar durante o outono.



O Syriza, partido liderado por Tsipras, repetiu no domingo a vitória de janeiro passado, desta feita com 35,5% dos votos, e vai voltar a formar uma coligação governamental com o partido nacionalista de direita Gregos Independentes, que obteve 3,69% dos votos.



Diário Digital com Lusa




(os sublinhados são da minha responsabilidade)


- A partir de: diário digital



____________





Como é forçoso constatar, no texto supra, o júbilo habita por Bruxelas!

A UE congratula exultante os partidos dos memorandos e da troika na Grécia – contando estes recentemente com mais 1 membro; o recém eleito Syriza, liderado pelo novo 1º ministro grego Tsipras.



O contentamento vibrante das intituições de Tusk, Juncker, Schäuble, Merkel e restantes; tem instigado e mantido os novos governantes gregos na “crista da onda” e ocupadíssimos na aplicação de programas, acordos e memorando – o 3º – levado para a Grécia pelos recém eleitos governantes e garantidos parlamentar e partidariamente pela recente coligação alargada de novos e velhos políticos.



Em matérias em que não se vislumbram alternativas no horizonte, nem além deste, é compreensível e justificável a alargada união. Acima de tudo, a defesa da “unidade da Europa” assim o exige!



Bom, e pegando nas (e fazendo minhas as) encorajadoras e enternecedoras palavras do representante da C.E.; “pronta a ajudar” as autoridades gregas - “bons trabalhos”!



So, “welcome to the machine”! ...








sábado, 5 de setembro de 2015

Imagens





















Os cabelos tombam húmidos e em desalinho

envolvem,

aderem,

de forma palpável

à suave pele,

desenham a misteriosa fronteira





O ventre transporta

belo e grave

o futuro

incerto, determinado



Ao contrário de Maria, de Godard,

a quem é anunciado o fruto

é Joana,

que em primeira mão,

anuncia o fruto ao mundo





Anuncia um duplo nascimento

o presente,

da imagem que se revela

e um outro,

futuro...










(Nunca a Joana A. D. esteve tão bela)